sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Fall Break: Day 3

Depois da noite mais mal dormida da minha vida (passei quase toda ela chorando por causa do meu maldito dedo) saimos da casa do amigo da minha hmom e andamos até o estacionamento pra pegar o carro, chegamos lá e adivinhem: mudaram o carro pra outro estacionamento durante a noite. Esperamos uma meia hora até trazerem ele e dirigimos até Washington DC, detalhe: não tinhamos planejado dormir lá, então estavamos com a mesma roupa, com celulares e maquinas quase descarregados, sem passar nada no rosto, quase sem dinheiro e literalmente morrendo.
Chegamos na cidade e fomos diretamente pro cemitério nacional de Arlington, que é gigantemente gigante e lindo. Lá dentro tem a tumba do "soldado desconhecido" e sempre tem um militar vigiando, de uma em uma hora esse militar troca com outro e é super importante essa troca. Andamos por uns 45 minutos e paramos as 2h pra ver a cerimonia, só que tinhamos um tour pela cidade as 2:30h e não ia dar tempo de pegar o carro, pagar estacionamento e chegar no lugar do tour, então pegamos um taxi, chegamos lá totalmente em cima da hora e quase que perdemos o busão, entramos correndo e só tinha velho la dentro. Conhecemos a cidade inteira em 3 horas, conversa vem conversa vai, acabamos falando que iamos voltar pra New Jersey de carro (4h de viagem) e a guia falou pra gente que era melhor então comer antes e depois pegar o carro no estacionamento que só fechava as 8h - isso era 5:30h. Ok. Comemos e pegamos um taxi de volta pro cemitério as 6:30, chegamos la e tava tudo escuro, não tinha uma alma viva(literalmente) e TODOS os portões estavam fechados. Tentamos entrar de todos os jeitos e já era 7:30 quando minha hmom decidiu ligar pra policia do meu celular que estava com 20% de bateria já que a dela tinha acabado e não tinhamos nenhum telefone de contato. A policia disse que não podia ajudar e que ela tinha que esperar ate amanha, só que detalhe, ela é diabética e a insulina tava no carro, então a policia ligou pro quartel dos militares que tinha perto do cemitério e disseram que iam mandar alguém pra abrir o portão porque TALVEZ eles tivessem uma chave que funcionasse. Meia hora depois a gente viu alguém dentro do cemitério andando na nossa direção e começamos a gritar pedindo ajuda, era o militar com 47582 chaves. Tentamos todas e nenhuma funcionou. Nisso eu já tava congelando porque tava 7 graus na rua, então tive a brilhante ideia de enrolar meu cachecol na cabeça, sentar no chão e comer o resto da minha saborosa sopa que eu não tinha terminado na janta. Enquanto isso minha hmom tava tentando convencer ele a pegar a chave do carro dela e dirigir pra fora. 40 minutos depois o militar descobriu que os bombeiros tinham a chave do portão e decidiu ligar pra eles. Eu tava esperando um carro e etc mas não, eles me apareceram com o caminhão dos bombeiros, três homens sairam de dentro e enquanto um tentava abrir o portão outro tirou o celular do bolso e decidiu dar uma de papparazzi tirando uma foto da minha linda e adorável cara. A maldita chave finalmente funcionou, andamos 5 minutos dentro do cemitério totalmente escuro, entramos no carro e quando estavamos saindo a catraca não abria porque não tinhamos pagado o estacionamento. Então minha hsis desceu e levantou a catraca o máximo que deu enquanto minha hmom subia no canteiro com o carro o suficiente pra fazer um angulo que passasse debaixo. Saimos do cemiterio as 9:30 da noite, e eu só conseguia imaginar a hora que a minha foto ia aparecer no noticiario: "brazilian exchange student breaks into national cemetery in the middle of the night", enquanto nossa jornada de quatro horas até casa começou.(ps gastamos todos nosso dinheiro nos taxis e tivemos que caçar todas as moedas pra pagar os pedágios). FIM.
Agora vamos ao que importa: as fotos hehe

Cémiterio
















Um comentário:

  1. Fiquei imaginando vocês tentando passar pela catraca, hahahaha'

    ResponderExcluir